From Indigenous Peoples in Brazil

News

Criticado por nove ex-ministros, PL que flexibiliza licenciamento ambiental será votado na Câmara nesta quarta-feira

12/05/2021

Fonte: O Globo - https://oglobo.globo.com/sociedade/meio-ambiente



Criticado por nove ex-ministros, PL que flexibiliza licenciamento ambiental será votado na Câmara nesta quarta-feira
Proposta dispensa fiscalização por órgãos ambientais a uma série de propriedades e atividades

Jan Niklas
12/05/2021

RIO - O novo projeto para a Lei de Licenciamento Ambiental que pretende flexibilizar a emissão de licenças no país, dispensando da fiscalização por órgãos ambientais uma série de propriedades, deve ser votada nesta quarta-feira na Câmara dos Deputados, segundo anunciou o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL).

De autoria do deputado e vice-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, Neri Geller (PP-MT), o Projeto de Lei (PL) 3729/2004 é duramente criticado por ambientalistas por fragilizar o monitoramento e a análise dos impactos ambientais resultantes da autorização de uma série de obras e atividades rurais. Nove ex-ministros do Meio Ambiente publicaram uma carta afirmando que o mecanismo cria um "regime geral de exceção ao licenciamento".

O PL propõe uma extensa lista de atividades com impactos ambientais que poderão ter dispensa do licenciamento ambiental. Entre elas estão obras de serviço público de distribuição de energia elétrica; sistemas e estações de tratamento de água e de esgoto sanitário; serviços e obras direcionados à manutenção e melhoramento da infraestrutura em instalações pré-existentes; entre outras.

O texto também dispensa de licença atividades rurais como o cultivo de espécies de interesse agrícola, temporárias, semiperenes e perenes; a pecuária extensiva e semi-intensiva; além da pecuária intensiva de pequeno porte. Além disso, cria o mecanismo da licença autodeclaratória, a Licença por Adesão e Compromisso (LAC), para atender aos empreendimentos que poderão emitir licenças automaticamente, sem qualquer análise prévia pelo órgão ambiental.

Tragédias de Mariana e Brumadinho são lembradas
Em uma carta, os ex-ministros do Meio Ambiente José Goldemberg (Fernando Collor), Rubens Ricupero (Itamar Franco), Gustavo Krause e José Carlos Carvalho (Fernando Henrique Cardoso), Marina Silva e Carlos Minc (Lula), Izabella Teixeira (Dilma) e Sarney Filho e Edson Duarte (Michel Temer) afirmaram que a ausência de fiscalização passará a ser a regra do licenciamento no país, inclusive em propriedades de médio impacto e porte.

"A proposta afirma que todo e qualquer empreendimento não qualificado como de significativo potencial de impacto, ou seja, a maioria absoluta do licenciamento no Brasil, pode ser licenciado mediante esta modalidade automática e sem controle prévio, podendo abarcar todo tipo de empreendimento impactante, incluindo barragens de rejeitos como as que se romperam em Mariana e Brumadinho (MG)", diz o grupo na carta.

O ex-ministros afirmaram que acompanham com "forte apreensão e rejeição a vários aspectos do novo texto e à votação precipitada, sem um debate público aberto com a sociedade". Eles argumentam ainda que a proposta pode gerar uma insegurança jurídica e a judicialização do licenciamento ambiental em todas as esferas, aumentar os riscos para investimentos e, portanto, "fulminar com o propósito principal perseguido por este projeto" que é "criar ambiente de negócios favorável".

Entidades ambientalistas também criticaram duramente o projeto. Em nota conjunta, Observatório do Clima, SOS Mata Atlântica, Instituto Socioambiental, Greenpeace, Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), Insituto Sociedade, População e Natureza (ISP) e WWF afirmaram que a proposta causa a "extinção" do licenciamento ambiental e que pode ser qualificada como "Lei da não licença e do autolicenciamento".

"Considerando o seu conteúdo extremado e desequilibrado, o projeto de lei, se aprovado, resultará na proliferação de tragédias como as ocorridas em Mariana e Brumadinho (MG), no total descontrole de todas as formas de poluição, com graves prejuízos à saúde e à qualidade de vida da sociedade, no colapso hídrico e na destruição da Amazônia e de outros biomas", dizem os institutos.

Amazônia sem cor: Com desmatamento, borboletas coloridas dão lugar às pardas e cinzentas

A Sociedade de Arqueologia Brasileira (SAB) também se manifestou contra a proposta. Segundo a SAB, o projeto descumpre a Constituição Federal, acordos internacionais e demais legislações vigentes.

"De maneira geral, a proposta desconsidera o patrimônio arqueológico não ainda identificado e fragiliza a proteção de comunidades indígenas, quilombolas e tradicionais não reconhecidas", afirma a entidade.


https://oglobo.globo.com/sociedade/meio-ambiente/criticado-por-nove-ex-ministros-pl-que-flexibiliza-licenciamento-ambiental-sera-votado-na-camara-nesta-quarta-feira-25013141
 

The news items published by the Indigenous Peoples in Brazil site are researched daily from a variety of media outlets and transcribed as presented by their original source. ISA is not responsible for the opinios expressed or errors contained in these texts. Please report any errors in the news items directly to the source