De Pueblos Indígenas en Brasil

News

Aldeia de Vivências coloca conhecimento, cultura e música indígenas em evidência

19/04/2016

Fonte: Poconet - http://www.poconet.com.br/



Em um Estado marcado pelo agronegócio, a população indígena, primeiros habitantes da terra resiste. E para comemorar essa resistência e difundir sua riqueza cultural, neste Dia do Índio (19), o evento 'Aldeia de Vivências' traz um dia inteiro de programação, com exposição de artesanato, roda de conversa e apresentação musical. Com entrada gratuita, o evento se estende até as 19h, no Salão Social do Sesc Arsenal. Na ocasião, também é lançamento o site 'Territórios Criativos MT', vitrine universal da cultura indígena de Mato Grosso.

A proposta é ser uma vitrine de apresentação de suas riquezas culturais à sociedade de fora das aldeias. Assim, no evento, serão apresentados os resultados decorrentes do projeto "Territórios Criativos Indígenas" (TCI). A 'Aldeia de Vivências' é realizada pela Secretaria da Economia Criativa do Ministério da Cultura (MINC/SEC) e a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) com apoio do Sesc.

Serão dez horas de programação a partir das 9h onde serão disponibilizados estandes com vendas de produtos até 19h, dentre eles: CDs da orquestra de violinos, biojoias, pacote de visita à aldeia xavante e muito mais. Estarão presentes na ocasião, pelo menos 30 indígenas das etnias Chiquitano, Umutina, Xavante, Bakairi, que vão apresentar os produtos e as atividades culturais aos visitantes.

O objetivo do TCI, conforme os organizadores do evento, é fortalecer uma economia da cultura ligada às comunidades indígenas: Bakairi, Chiquitano, Umutina e Xavante, valorizando e respeitando o conhecimento tradicional e saberes locais, gerando renda dentro das próprias comunidades e estimulando a economia solidária e arranjos produtivos locais.

Basicamente, o TCI consiste em Capacitação-Consultoria, Site e Catálogo - virtual e impresso - e a apresentação da Aldeia de Vivências. A capacitação e consultoria foram direcionadas para as quatro comunidades indígenas envolvidas no Projeto, tendo como foco a melhoria na produção, mapeamento de editais e fundos públicos, fortalecimento de redes; divulgação e comercialização dos produtos; conhecimento sobre os direitos de propriedade intelectual, patrimônio material e imaterial.

Já o site e o catálogo virtual são espaços dedicados à venda direta ao consumidor e também, de contatos para vendas no atacado, para moradores e lojistas residentes dentro e fora do estado de Mato Grosso. Haverá no site, também, espaços dedicados à disponibilização de informações sobre os povos envolvidos no projeto focando a produção oriunda de cada um deles e contatos para comercialização.

A vitrine de apresentação dos resultados coroa o projeto neste final com lançamento do site, encontro com investidores, momento para debater políticas públicas e parcerias para as comunidades indígenas, além da avaliação final. Estará presente no evento, o diretor de empreendedorismo, gestão e inovação da secretaria de políticas culturais do Ministério da Cultura, Gustavo Vidigal.


Exposição de artesanato


Em parte das exposições do dia estão às criações "Bôloriê Umutina", uma série de biojoias de uma beleza ímpar, natural e multicolorida que traduz toda a sensibilidade do povo Umutina, um grupo indígena que habita a margem direita do rio Paraguai, na cidade de Barra do Bugres/MT, onde vivem na Área Indígena de mesmo nome, com 28.120 hectares. Nesse território habitam 453 indígenas, divididos em duas aldeias. Na Bakalana estão 53 pessoas e na central, a Umutina, vivem 400 pessoas.

Na Área eles têm sua própria denominação, se reconhecem como o povo Balatiponé, que significa 'gente nova'. A economia da comunidade baseia-se na pesca, produção de artesanato e na comercialização do excedente de alguns produtos das roças familiares.

As biojoias são produzidas principalmente com sementes encontradas no território Umutina e geralmente são confeccionadas pelas mulheres. Essas sementes utilizadas são colhidas uma ou duas vezes no ano e armazenadas para uso durante o ano inteiro, o que possibilita gerar modelos que são produzidos somente pelos artesãos Umutina.



http://www.poconet.com.br/noticias/visualizar/aldeia-de-vivncias-coloca-conhecimento-cultura-e-msica-indgenas-em-evidncia/5874
 

The news items published by the Indigenous Peoples in Brazil site are researched daily from a variety of media outlets and transcribed as presented by their original source. ISA is not responsible for the opinios expressed or errors contained in these texts. Please report any errors in the news items directly to the source