De Pueblos Indígenas en Brasil

News

Barroso dá 48 horas para governo explicar como vai concluir implementação de bloqueios sanitários contra covid-19 em terras indígenas

01/12/2020

Fonte: OESP - https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo



Documentos anexos


Barroso dá 48 horas para governo explicar como vai concluir implementação de bloqueios sanitários contra covid-19 em terras indígenas
Aldeias do Alto do Rio Negro, Enawenê Nawê e Vale do Javari, na Amazônia, não receberam medidas para conter avanço do novo coronavírus; ministro do Supremo Tribunal Federal diz que situação é 'gravíssima'

Rayssa Motta/SÃO PAULO e Rafael Moraes Moura/BRASÍLIA
01 de dezembro de 2020

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu 48 horas para que o governo apresente informações sobre a implementação de barreiras sanitárias contra a covid-19 nas terras indígenas Alto do Rio Negro, Enawenê Nawê e Vale do Javari, na Amazônia.

Partiu dele, em julho, a ordem para o governo federal adotar medidas de contenção ao contágio e a mortandade pelo novo coronavírus entre a população indígena. No entanto, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) sustenta que a decisão não foi integralmente cumprida. Segundo dados levantados pela associação, mais de 40 mil casos de covid-19 foram confirmados entre indígenas, com 881 mortes.

Em despacho nesta terça-feira, 1, o ministro, que é relator de uma ação conjunta ajuizada pela entidade em parceria com partidos políticos de oposição, classificou como 'gravíssima' a situação.

"A situação é gravíssima, dado o avanço da pandemia, e, a se confirmar esse quadro, estará havendo descumprimento da medida cautelar proferida. Em um Estado de Direito, poucas coisas são tão graves como o desrespeito a uma decisão judicial, tanto mais quando emanada do Supremo Tribunal Federal", registrou o ministro.

Barroso determinou que a União convoque a chamada 'Sala de Situação', comissão composta por indígenas, membros do governo e integrantes da Procuradoria Geral da República, Defensoria Pública da União e Conselho Nacional de Justiça, para elaboração de um plano detalhado para 'imediata' implementação das barreiras caso ainda não tenham sido concluídas. Também pede que sejam esclarecidas as razões para o suposto descumprimento da decisão anterior e que sejam informadas todas as barreiras pendentes de implementação ou suspensas.

Imbróglio. A ordem para construção das barreiras sanitárias como estratégia para preservar indígenas isolados é uma das cinco medidas determinadas por Barroso para conter o avanço da covid-19 entre essa população. A decisão foi dada após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetar uma série de dispositivos da lei que regulamenta o combate ao novo coronavírus entre indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais.

Entre as iniciativas determinadas pelo ministro, estão ainda o planejamento de ações com a participação das comunidades, a apresentação de planos para contenção de invasores e do próprio vírus nas reservas e a garantia de acesso a toda essa população ao Subsistema Indígena de Saúde.

No mês passado, a Advocacia-Geral da União apresentou ao Supremo uma nova versão do plano geral para o combate à pandemia do coronavírus entre os povos indígenas, mas o ministro decidiu não validar a versão por considerá-la 'genérica' e pediu que um novo documento fosse apresentado. Em agosto, Barroso já havia mandado o governo ajustar o Plano de Barreiras Sanitárias.

Documento
O DESPACHO
PDF

https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/barroso-da-48-horas-para-governo-explicar-como-vai-concluir-implementacao-de-bloqueios-sanitarios-contra-covid-19-em-terras-indigenas/
 

The news items published by the Indigenous Peoples in Brazil site are researched daily from a variety of media outlets and transcribed as presented by their original source. ISA is not responsible for the opinios expressed or errors contained in these texts. Please report any errors in the news items directly to the source